terça-feira, 16 de agosto de 2011

Tietagem explícita

Por Carla Ayres*

Ângela Maria Diniz Gonçalves, ou Ângela Ro Rô.
Pelo que me consta, durante os anos de 80 e 90 este nome foi sinônimo de “escândalo” no meio artístico, e por isso mesmo é que por tanto tempo ela esteve ausente dos circuitos musicais.
Como já escrevi em algum lugar certa vez, muitos artistas de nossa MPB deixaram que suas vidas se perdessem pela intensidade que as viviam. Ângela, no entanto, depois de muito “esbanjar” resolveu preservar seus dias e já há algum tempo deixou a boemia que a taxou por tantos anos.
Não tem mais que três anos que “descobri” o trabalho de Ro Rô, e por não ter presenciado suas famosas histórias do início da carreira aprendi a admirá-la apenas por seu trabalho, por suas canções e por sua poesia, enfim, pelo motivo que realmente importa a um artista.
No último final de semana fui a São Paulo a convite da própria Ângela para acompanhar dois shows no SESC – Vila Mariana.
Nada mais poderia definir estes momentos se não a palavra: “Emoção”.
No repertório canções imortalizadas nestes 32 anos de carreira, como “Amor, meu grande amor”, “Demais”, “Tola foi você”, “Fogueira”, “Simples carinho”, “Ne me quitte pas”, dentre outras. Além de muita simpatia e bom humor.
No final da noite de domingo, após vários mimos durante os shows, tive o prazer de finalmente conhecer e conversar com Ro Rô durante um bom tempo.
O encontro foi registrado conforme pode se ver na foto.

*Carlinha é mestranda em Ciências Políticas e atualmente reside em São Carlos.

1 comentários:

Carla Ayres 16 de agosto de 2011 15:40  

Amigos, só uma correção: ainda estou fazendo o mestrado e é em Ciencia Politica. (rsrs...) beijao!

  © GAZETA MARINGAENSE O PORTA-VOZ DA COMUNIDADE. template Configurado por Carlos Jota Silva 2010

Voltar ao TOPO