quarta-feira, 5 de outubro de 2011

A cidade do lixo

 Texto e fotos de André Leandro Veneruci
Próximo da Praça da Independência, no Jardim Alvorada (cruzamento da Avenida Franklin Delanno Rosevelt com a Rua Chile), cada dia jogam algo diferente. Ontem foram armários de cozinha, pia, canos, madeiras, tanque de lavar roupa. Servidores municipais recolheram a tarde.
Hoje pela manhã novamente mais entulhos, sofá, cobertores, roupas, fraldas usadas, edredons, lixo doméstico.
Já tem até um bolão entre os moradores para saber o que virá nesta quinta e sexta-feira.
Segundo um morador deste local, o pior de tudo é que nesse caso não foram carroceiros, mas sim pessoas com "carrões" que deixaram ali o lixo que foi luxo um dia na casa da elite maringaense. É cada vez mais comum o canteiro central se tornar depósito de lixo na cidade e ninguém é punido. Exceto nas vias centrais onde há canteiros bem cuidados. A Lei existe, mas como dezenas de outras não é aplicada.
Há funcionário para aplicar essa multa? E secretário para cuidar disso, há?
Não basta somente recolher caca, tem que se punir os infratores, independentemente da sua razão social.

2 comentários:

Anônimo,  5 de outubro de 2011 23:57  

O maior depósito de lixo em maringá é a câmara de vereadores,muito bem representada pelo mau carater sr. John Alves

Anônimo,  6 de outubro de 2011 21:40  

Os moradores deveriam fotografar os tais carrões,visando que a placa fique legível e publicar nos jornais. Tenho certeza que não é carro de nenhum vereador,mas sim de um cidadão com fama de importante, mas muito porco.

Bjka!!!

  © GAZETA MARINGAENSE O PORTA-VOZ DA COMUNIDADE. template Configurado por Carlos Jota Silva 2010

Voltar ao TOPO