sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Descalço

Vou andar descalço pelas estrelas
colher flores no universo
vou levar meus versos pra qualquer lugar
que seja longe da tua constelação.
Vou me afastar aos poucos
numa chuva de corpos celestes
viajar sem destino
brilhar de sol e de lua
e como estrela-cadente
cair em você.
Vou puxar os cometas pelas caudas
e te dar os anéis de Saturno
me afogar no mar da tranquilidade
e me ocultar no lado escuro da lua,
vou me perder de você
pra nos encontrarmos
numa dobra do tempo qualquer
em que sejamos um só
infinitamente, para sempre!

Antonio Santiago

1 comentários:

Thaís,  30 de outubro de 2009 20:43  

Como sempre lindas, viajo nessas poesias!

  © GAZETA MARINGAENSE O PORTA-VOZ DA COMUNIDADE. template Configurado por Carlos Jota Silva 2010

Voltar ao TOPO