quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Morosidade

"Vejo a questão por dois ângulos. O primeiro é que não poderia existir uma lei específica para o Jader Barbalho. Se o Supremo decidiu que a Lei do Ficha Limpa não valia para as últimas eleições, ele tinha mesmo que tomar posse. Mas a segunda questão é quanto à morosidade da Justiça. Infelizmente as decisões judiciais no Brasil demoram muito, e isso é uma ofensa não a mim, mas à própria Justiça."

Do ex-procurador da República Pedro Taques (PDT) e atualmente colega de plenário por Mato Grosso, de Jáder Barbalho (PMDB), que tomou posse no Senado, apesar da ficha suja. Taques foi responsável pela prisão de Jader, em fevereiro de 2002, sob acusação de integrar uma quadrilha que teria desviado R$ 4 bilhões da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).

1 comentários:

JOSÉ ROBERTO BALESTRA 31 de dezembro de 2011 20:23  

É bom que esse senador "taques" "jáder" a "barbalha" de molho, o quanto antes...

  © GAZETA MARINGAENSE O PORTA-VOZ DA COMUNIDADE. template Configurado por Carlos Jota Silva 2010

Voltar ao TOPO