domingo, 31 de outubro de 2010

E por falar em censura...


A censura existe desde o princípio do mundo e ela se manifesta de diversas formas nas comunidades humanas. Vemos censura na política, censuras morais e religiosas, censura na mídia. É disso que quero falar, pois o assunto vem sendo debatido até a exaustão e a maioria, inclusive pessoas esclarecidas, às vezes têm dificuldades e atacam o governo Lula dizendo que ele quer calar a boca da imprensa. Mas quem está por trás disso. Os donos das grandes redes de televisão e jornais ou seus empregados, os jornalistas? Infelizmente, os dois. Alguns colegas absorvem o discurso dos patrões como se fossem os donos das empresas, defendem que as emissoras coloquem a programação que quiserem, mesmo que seja um lixo, desses que estamos acostumados a ver diariamente.
Resumindo, não tem uma programação cultural voltada para o enriquecimento e crescimento do indivíduo. Quem tem dinheiro para comprar revistas e livros e assinar um canal de TV, ainda consegue ler e assistir alguma coisa que preste, mas os menos favorecidos são obrigados a assistirem novelas e programas do mundo-cão.
Ah, e esses mesmos jornais e TVs que defendem tanto a tal liberdade de imprensa, são os primeiros a atacá-la quando profissionais de seus quadros não comungam com a mesma ideologia dos patrões. Somente para lembrar alguns casos recentes me vem à memória o da psicanalista Maria Rita Kehl que foi sumariamente despedida pelo jornal “Estadão” ao publicar uma matéria exprimindo suas opiniões sobre a "desqualificação" dos votos dos pobres. O texto, intitulado "Dois pesos...", gerou grande repercussão na internet e mídias sociais e Maria Rita levou o cartão vermelho.
Outro caso recente foi a demissão do jornalista Heródoto Barbeiro, que fazia um jornal na TV Cultura (do governo tucano de SP), ao levantar as questões abusivas dos pedágios naquele Estado, foi mandado andar.
E agora, aqui mais perto de nós, a minha amiga Ruth Bolognese, que escrevia colunas dominicais para alguns jornais do interior do Paraná, foi dispensada em razão de ter declarado o seu voto em Osmar Dias para governador do Paraná.
Então me digam? A censura serve a quem e para quem? Se são os donos da mídia que fazem é para defenderem os interesses da empresa. Se são os empregados ou setores da sociedade que se manifestam querendo uma imprensa mais transparente, aí são tachados de repressivos, nazistas e outras barbaridades.
Como disse bem Maria Rita (a psicanalista citada no texto), são mesmo dois pesos e duas medidas.

Antonio Santiago

1 comentários:

Carla,  1 de novembro de 2010 12:34  

O direito a liberdade de expressão é um direito fundamental e inalienável, sendo essencial para o desenvolvimento e entendimento de expressão e o efeito do desenvolvimento da democracia... Portanto a liberdade de expressão não deve nunca causar medo aos individuos e governantes de pensamentos libertários e sim aqueles que querem se manter inatingiveis pelo direito de expressão aos tirano e ditadores...

  © GAZETA MARINGAENSE O PORTA-VOZ DA COMUNIDADE. template Configurado por Carlos Jota Silva 2010

Voltar ao TOPO